29 de ago de 2013

Mistake: Capítulo 1 - Mau começo.



Sexta-feira- 5 de Agosto de 2002 - 18:30 pm - Lado negro do Broklyn.

Justin Drew Bieber era apenas mais um professor na grande Nova York. Não possuía muito dinheiro mas era feliz com uma de suas únicas fontes de felicidade, sua namorada Anne.

Mesmo namorando a pouco mais de dois meses, eles se encontravam perdidamente apaixonados, não se imaginando viver um sem o outro.

Anne já estava quase pronta para o seu encontro com Justin, só faltava ajeitar o seu cabelo. Decidiu deixá-lo solto e estava pronta.

Está perfeito, pensou consigo mesma, agora só falta o Justin, ela bufou. Seu namorado era vaidoso demais, gostava de estar sempre bonito, o que conseguia perfeitamente.

Enquanto o esperava, ouviu o celular de Justin tocando, foi até o celular e viu na tela " Clarinha". Achou estranho, não sabia quem era essa Clarinha.

Ficou pensando um pouco sobre isso até que foi surpreendida por seu namorado agarrando sua cintura.

- O que houve amor? - disse ele perto do ouvido da menina, o que a fez se arrepiar.

- Uma tal de Clarinha ligou para você. - ela se virou o encarando- Quem é ela?
- Uma amiga. - disse ele, sem gaguejar nem nada, o que surpreendeu a ele mesmo, onde tinha aprendido a mentir assim?

- Tudo bem então. - disse Anne não querendo causar nenhuma briga.

Ele terminou de se arrumar e foram para o jantar no The Fishs, que tinha sido planejado com uma certa antecedência.

(...)

Rua Bbs, NY - 00:30 pm

- Clara. - ele começou confiante- eu quero terminar o nosso relacionamento, eu não posso mais, a Anne desconfiou e eu não quero perdê-la, ela é tudo pra mim.

- Eu sabia que isso ia acontecer. - disse ela amarga.- só não sabia que ia doer tanto.

- Não é nada com você Clara, é que eu sou comprometido, você sabe. - Ele disse preocupado.

- Eu sei, eu já entendi Justin. - ela disse farta. - Mas podemos ter uma despedida. - ela riu maliciosa.

- Não Clara, é melhor não. - a menina levou a sua mão até o membro do garoto o apertando, fazendo o mesmo gemer.

- Só se for agora- ele disse.

Agarrou a menina com força e começou a beijá-lá com urgência, como se necessitasse daquilo para viver, tirou sua blusa vendo os seios fartos de Clara apertados em um pequeno sutiã, começando a fazer uma trilha de beijos de sua barriga até a ponta do sutiã, onde com um pouco de dificuldade arrancou aquele "trapo" abocanhando os dois seios de Clara de uma só vez.

Chupava, Lambia, Mordia e a menina ia á loucura, deixando de seus lábios escapar gritos de prazer. Gritando por Justin, que estava quase engolindo os seios da mesma.

Soltou seus seios. Clara por sua vez, queria dar o mesmo prazer que o menino proporcionou á ela. Arrancou sua blusa e depois sua calça juntamente com a cueca. Começou a masturbá-lo e chupá-lo até que sua cabeça  foi bruscamente puxada, a fazendo beijar Justin que já não aguentava mais. Rasgou sua calcinha e a penetrou com força, ele não se importava se estava machucando ou não, o sexo com Clara era assim, selvagem e brutal. O sexo com Anne não era assim, mas , por que mesmo ele estava pensando em Anne em um momento desses? Esse momento era para ser bom e não cheio de culpa.

Depois que os dois chegaram ao seu "limite", Justin saiu de dentro de Clara. Vestindo imediatamente as suas roupas.

- Não vai tomar um banho? - perguntou Clara cansada.

- Não. - ele respondeu seco e saiu da casa dela já completamente vestido.

O sentimento de culpa tomava conta dele. Por que traia Anne se ela era a mulher perfeita pra ele? Nem ele mesmo sabia. Talvez fosse porque ele nunca foi acostumado a ficar com só uma menina.

(...)

Lado Negro do Broklyn - 10:30 am

Justin acordou na manha seguinte como em todas as manhas seguintes ás suas traições a Anne, sossegado e tranquilo.

Não tinha usado proteção mas não se importava, ele e Clarinha nunca usavam. Ela sempre optou por tomar pílula, não queria nenhum filho para criar.

Brooklyn- The Ocks Condominium 11:30 am

- Eu acho que ele está me traindo Julie. - disse olhando para os seus olhos exageradamente verdes.

- Por que Anne? - a menina perguntou assustada.

- Uma tal de Clara ligou para ele Ju, eu sei que não parece ser nada demais mas estou desconfiada mesmo ele falando que ela é apenas uma amiga.

- Confie nele Anne, ele nenhuma vez te deu motivos para desconfiar dele então apenas confie e relaxe, ele te ama tanto quanto você o ama, portanto, não seria capaz de te trair.

- É o que eu espero.

2 meses depois- Lado Negro do Broklyn, 17:43 am

- O que? Gravida? Como assim Clara? - ele gritava ao telefone.
...
- Você não tomou a porra da pílula por quê não tinha? Conte outra Clara. Por que não me ligou pedindo dinheiro para comprar?
... 
- Eu sei que eu bloquiei o seu numero mas
...
- Me deixa falar.
...
- Não, eu não vou assumir esse filho, você que, se não quisesse tê-lo me procurasse antes e pedisse a porra da pílula. 
...
- Me colocar na justiça? E com que dinheiro você fará isso? Eu que te sustentava, sem mim você é apenas mais uma vadia qualquer.
...
- Eu não quero esse filho. Adeus Clara.

Desligou a chamada e tacou seu IPhone na parede.Pegou o vaso de flores da mesa de centro da sala de jantar e jogou-o no chão. A sua vontade era de quebrar tudo mas ele se controlou, sabia que tinha comprado aquelas coisas com muito esforço.

Sua cabeça latejava com tantos pensamentos ao mesmo tempo. Por que aquilo tinha acontecido com ele? Justo quando Anne tinha se entrego totalmente á ele. Quando eles estavam noivos? Por quê? O casamento seria sete meses depois daquilo, isso se ele realmente acontecesse. Pensava se assumiria o ou não o filho, se contaria ou não á Anne sobre a existência dele.

E depois de muito pensar, decidiu contar á ela sobre o seu filho.

The Ocks Condominium- 18:10

- Ok amor, eu e Julie estamos te esperando beijo, te amo.

- Ele já vem? - perguntou Julie jogada no sofá da casa de Anne.

- Já e ele disse que tem um assunto muito importante a falar comigo.

- De certeza é sobre o casamento de vocês.

- Será que teve algum problema com a data dele? 

- Não sei Anne, é melhor esperarmos ele chegar.

As duas esperaram, até que a campainha tocou. Sem mais delongas, Anne abriu a porta do apartamento se deparando com um Justin preocupado.

- Entre Justin. - ela disse e ele obedeceu.

Ele não sabia como dizer isso á ela. Optou pela maneira mais rápida.

- Então Justin, o que você tinha para me contar? - disse a menina curiosa.

- É uma coisa seria Anne, talvez depois que eu a conte você comece a me odiar eternamente mas eu preciso contar, você tem o direito de saber.

- O que é Justin? - disse preocupada.

- Eu tenho uma amante e ela está gravida.

Justin fitava a expressão confusa no rosto delicado de Anne. Viu lágrimas e mais lágrimas descendo por seus olhos. Mas nenhuma palavra havia sido dita.
Julie a esse ponto apenas observava a amiga com preocupação e Justin com nojo e desprezo. Por que fez isto com sua melhor amiga?

- Vá embora Justin. - ela disse calma.

- Mas 

- APENAS VÁ EMBORA, SUMA DA MINHA VIDA. - a menina se descontrolou chorando compulsivamente.

Como a pessoa que ela mais confiava no mundo traiu ela desse jeito? Ela não entendia e nem queria tentar entender.

CONTINUA

Eu amo essa fanfic demais, espero que tenham gostado do capítulo e por favor comentem dizendo o que acharam. <3

Um comentário:

  1. Sinto-me uma vagabunda.
    Clarinha, que intimidade é essa meu filho? Bem não importa, eu acho muito bem feito ele ter perdido a menina. espero que ela encontre alguém melhor.
    continua flor
    \Clara que vai fazer o Justin assumir o filho e sustentá-lo, querendo ou não.

    ResponderExcluir